Avançar para o conteúdo principal

Sobre a Coração de Pássaro

Posso e quero dizer que o trabalho da "Coração de Pássaro" é sempre o prolongamento de um sonho.

Não sei muito bem como nasceu esta necessidade de criar, só sei que desde muito pequena que recriava muitas coisas, enquanto as minhas amigas de escola vestiam as suas bonecas, eu e a minha paciente avó, construíamos os fatos das minhas. Em casa da minha avó era sem dúvida um mundo sem limites, a máquina de costura antiga, o facto de não se zangar por lhe desarrumar a casa, acho que tudo isso contribui, porque hoje em dia, sou influenciada pelas minhas memórias de infância que recrio nas "Story bags - Tradicional Portuguese LifeSytle".

Os meus dias são passados entre livros e crianças, sou licenciada em Animação Cultural e Educação Comunitária e neste momento faço a mediação entre os livros e as leituras. O que quer dizer que resta pouco tempo para criar. Mas como não me consigo imaginar sem criar alguma coisa, utilizo muitas vezes o que faço no meu trabalho. O melhor exemplo disso foi o meu primeiro "Picture Story Book". Daí nasceu o logótipo, o nome já não foi tão fácil.


Quando criei o blog andei às voltas com os nomes, fiz uma breve pesquisa sobre flores do campo, gostei do nome e mais tarde ao ler um poema de Cecília Meireles redescobri a "For-de-vento."
Mas na continuidade dos trabalhos, crafts e mediação da leitura, cheguei à conclusão que afinal tenho um coração de pássaro, que bate depressa e é frágil. Que deve ser tratado com cuidado, mas adora a liberdade.

Acho que transmite bem o que sou. Espero que gostem.

Mensagens populares deste blogue

Homens que são como lugares mal situados

Sei que o homem lavava os cabelos como se fossem longos Porque tinha uma mulher no pensamento Sei que os lavava como se os contasse
Sei que os enxugava com a luz da mulher Com os seus olhos muito claros voltados para o centro Do amor, na operação poderosa Do amor
Sei que cortava os cabelos para procurá-la Sei que a mulher ia perdendo os vestidos cortados
Era um homem imaginado no coração da mulher que lavava O cabelo no seu sangue
Na água corrente
Era um homem inclinado como o pescador nas margens para ouvir E a mulher cantava para o homem respirar

Daniel Faria

para o meu menino

:)

Andar por aí